quinta-feira, 13 de outubro de 2011

inquietações de um dia vazio.


Vazio é um parênteses sem nada dentro.
É o que me sobra se eu perco a fé.
Vazio é o espaço não preenchido, os espaços internos.
O que sobra e o que falta quando você enche a casa de móveis.
Vazio é quando você sente fome, abre a geladeira e percebe
que está na hora de fazer compras.
É quando você não sabe o que dizer, ou simplesmente não tem
palavras pra falar ou explicar algo.
Pode ser um estado de 'sei lá o que me perpassa', de um altismo
poético, ou de devaneios que floreiam os pensamentos como
as brisas no verão, ou nos cataventos da Cidade dos Girassóis.
Vazio é quando você esquece o nome das pessoas, onde estão
as chaves de casa, onde deixou a carteira com os documentos
ou qual é o seu próprio número de celular.
Isso não de se lembrar, vazio.
Vazio é quando você reencontra um velho amigo de infância
e descobre que vocês não tem mais nada em comum.
E fica o vazio dos olhares constragidos sem saber o que dizer.
Vazio é quando você chega sozinho em casa
depois de um dia cheio de pessoas e prepara a mesa de jantar
só pra você.
Vazio é o que eu mais sinto no meio das cidades grandes,
e o que mais se sentia ali.




Um comentário:

tossan® disse...

Vazio é quando você descobre que teus amigos não gostam de fotografia. Vazio é quando você quer fotografar e não consegue mais enxergar as coisas reais. Vazio é quando você vai fotografar e te roubam a máquina. Vazio é quando você quer caminhar para fotografar e não consegue andar por que quebrou a perna fotografando. Oxalá eu comer só, poder subir no ônibus e não ter tanta gente em volta a me atormentar. Desculpa o desabafo moça bonita, mas os teus problemas serão sanados em breve porque você é jovem e os meus também, espero!